Leptospirose canina:

A população da capital baiana está sentindo os reflexos do Inverno no estado, a exemplo das chuvas em excesso. Os animais, como os cães, também sofrem com esta mudança de estação. Isso porque eles ficam mais suscetíveis a uma doença que, se não tratada, pode ser fatal: a leptospirose canina.

Normalmente, a transmissão acontece por meio da urina do rato, que pode ser propagada pela água da chuva, de rios, córregos e relacionados. O pet, por sua vez, acaba contraindo a doença através da penetração da bactéria (Leptospira), que consta no líquido, nas mucosas –  boca, língua, olhos e ferimentos abertos.

A leptospirose canina é caracterizada como uma zoonose com alto poder de provocar falências em vários órgãos, como rins e fígado. Os principais sintomas nos cães são: vômito, diarreia, cor amarelada nas mucosas dos olhos e da boca, febre, perda de apetite, urina escura, debilitação do animal, dentre outros. 

Prevenção

Existem várias formas de prevenir a leptospirose canina, como focar no controle de ratos, evitar entulhos e lixos nos terrenos e quintal. Se as chuvas forem recorrentes, considere deixar o passeio com o seu pet para outra ocasião. Poças d’água e alagamentos são situações propícias para a propagação da Leptospira. Além disso, tenha atenção com o pote de ração do seu amigão, principalmente se ficar no quintal de casa. Os ratos podem ter contato com o alimento e acabar infectando o seu pet.

 

Horário de Funcionamento

Hospital Veterinário: 24h
Centro de Estética
Segunda a Sábado das 8 às 17h
Domingo das 8 às 13h
Pet Shop
Segunda a Sexta das 8 às 19h
Sábado das 8 às 18h
Domingo das 8 às 13h