Leishmaniose canina:

A leishmaniose visceral canina, também conhecida como calazar, é uma doença perigosa, com alta probabilidade de óbito, se não tratada. A principal forma de transmissão é por meio do mosquito palha, que por sua vez está infectado pelo parasita Leishmania infantum chagasi, podendo picar os cães. A doença ainda pode ser transmitida de animais para humanos e vice-versa, sendo o mosquito o vetor. 

Dentre os principais sintomas, destacam-se a descamação da pele, feridas principalmente no focinho, orelha e cauda, perda de apetite e peso, crescimento exagerado das unhas e apatia. Em casos mais avançados, as consequências são ainda piores, com destaque ao surgimento de nódulos e ínguas, vômitos, diarreia, aumento abdominal, problemas nos rins, fígado e demais lesões em órgãos internos, atrofias musculares, conjuntivites e outras alterações oculares, até chegar ao óbito.

A leishmaniose não tem cura, mas é possível manter a doença controlada de forma medicamentosa, com o auxílio do médico veterinário. Por isso, prevenção é a palavra-chave. Além da vacinação, os responsáveis pelos animais também precisam tomar precauções rotineiras, como colocar coleiras repelentes nos cães, manter os quintais limpos – uma vez que esta é a principal forma de diminuir a ocorrência do mosquito transmissor, fazer o uso de telas de proteção e repelente específico para pet, além de manter o ambiente do animal limpo e higienizado.

Importante: não abandone o seu pet, caso ele tenha a leishmaniose. É neste momento que ele mais precisa de você!

 

Horário de Funcionamento

Hospital Veterinário: 24h
Centro de Estética
Segunda a Sábado das 8 às 17h
Domingo das 8 às 13h
Pet Shop
Segunda a Sexta das 8 às 19h
Sábado das 8 às 18h
Domingo das 8 às 13h